terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Feliz Ano Novo!



Olá Leitores!


Final do ano está aí,muita coisa boa aconteceu e ainda acontecerá, queria encerrar este ano passando à todos os leitores um desejo de muito sucesso no próximo ano, que a felicidade reine em sua casa e que seus(as) amigos(as) sintam seu abraço, irradiado de energias positivas.Feliz Ano Novo à todos.

Tenho sede de Saber!

Quando um livro se abre,
O saber aparece e cresce
Saber sem cor,sem classe,
Um mundo diante dos olhos.

Nas páginas de uma obra,
A vida é explicada,
Vitórias são aclamadas,
Tristezas derrotadas.

Quanto custa o saber?
Muito menos do que parece,
Quem sabe algumas preces?
Ou apenas alguns minutos?
Dedicados ao aprender.

Viajamos por entre linhas,
Através das palavras,
Um dia é certo que chegaremos,
Muito mais longe que percebermos.

Conhecemos um lugar comum,
Imaginamos um lugar sonhado.
As palavras são pequenas,
O conhecimento é gigante.

O livro é um companheiro,
Daquelas noites de tempestades,
Também dos dias de saudades.
Saudades daqueles dias,
Que ficaram no passado.

Voltar atrás é difícil,
Recomeçar, bem mais fácil.
Aprender é viver,
Conhecer é crescer.
Tenho sede de saber!

(alexandrefigueiró-30/12/2008)
Ler é vida é cultura,escrever faz bem à saúde.Grande abraço e até ano que vem.
Ass.Editor

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Já é Natal,vamos curtir....


Olá Leitores!


Já é Natal,vamos curtir!

Que este reecontro com a felicidade,se repita por vários anos.

Vamos lembrar das coisas boas que estamos brindando,

Os bons momentos que passamos com a família,

O nascimento do Menino Jesus!

Se tínhamos algo que nos entristecia,

Hoje devemos esquecer.

Que São Nicolau (St.Klauss),

Que deu vida ao Papai Noel,

Abençoe a todos.

Não vamos usar o dia de hoje,

Para brigas e mágoas,

Deixe reinar a felicidade.

Compartilhe alegrias,

Estrelas brilham no céu,

Você brilha na Terra!
FELIZ NATAL!
Alexandre C. Figueiró

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Mês de Olavo Bilac


Olá Leitores!


Na última postagem trouxe até aqui a poesia de Castro Alves, O Poeta dos Escravos, agora trago até aqui Olavo Bilac (O. Braz Martins dos Guimarães B.), jornalista, poeta, inspetor de ensino, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 16 de dezembro de 1865, e faleceu, na mesma cidade, em 28 de dezembro de 1918. Um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, criou a Cadeira n. 15, que tem como patrono Gonçalves Dias , conhecido como Príncipe dos Poetas que viveu praticamente na mesma época de Alves.Em 1916, fundou a Liga de Defesa Nacional, entidade que tem como finalidade precípua robustecer o espírito patriótico dos brasileiros.


A Pátria


Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!

Criança! não verás nenhum país como este!

Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!

A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,

É um seio de mãe a transbordar carinhos.

Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,

Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!

Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!

Vê que grande extensão de matas, onde impera

Fecunda e luminosa, a eterna primavera!


Boa terra! jamais negou a quem trabalha

O pão que mata a fome, o teto que agasalha...


Quem com o seu suor a fecunda e umedece,

Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!


Criança! não verás país nenhum como este:

Imita na grandeza a terra em que nasceste!


(Olavo Bilac)
Por hoje é só pessoal registrem seus pensamentos patrióticos e grande abraço.
Ass.: Editor

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Consciência Negra...



Olá Leitores!


Em plena semana de consciência negra, resolvi homenagear o ilustre poeta Castro Alves, considerado o poeta dos escravos.Trouxe até aqui apoesia Mater Religiosa, inspirada nos comentários colocados por leitores em um outro blog que tenho (http://www.ligaderiopardo.zip.net/) é uma linda poesia que fala sobre uma mãe escrava:


MATER DOLOROSA
(ESCRAVO)
CASTRO ALVES


Meu Filho, dorme, dorme o sono eterno

No berço imenso, que se chama - o céu.

Pede às estrelas um olhar materno,

Um seio quente, como o seio meu.

Ai! borboleta, na gentil crisálida,

As asas de ouro vais além abrir.

Ai! rosa branca no matiz tão pálida,

Longe, tão longe vais de mim florir.

Meu filho, dorme ... Como ruge o norte

Nas folhas secas do sombrio chão!

Folha dest'alma como dar-te à sorte?

É tredo, horrível o feral tufão!

Não me maldigas... Num amor sem termo

Bebi a força de matar-te a mim

Viva eu cativa a soluçar num ermo

Filho, sê livre... Sou feliz assim...

- Ave - te espera da lufada o açoite,

- Estrela - guia-te uma luz falaz.

- Aurora minha - só te aguarda a noite,

- Pobre inocente - já maldito estás.

Perdão, meu filho... se matar-te é crime

Deus me perdoa... me perdoa já.

A fera enchente quebraria o vime...

Velem-te os anjos e te cuidem lá.

Meu filho dorme... dorme o sono eterno

No berço imenso, que se chama o céu.

Pede às estrelas um olhar materno,

Um seio quente, como o seio meu.
Fonte: http://www.secrel.com.br/


Por hoje é só,continuem registrando seus pensamentos patrióticos.Gde abraço.

Ass. Editor

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Presidente Negro...


Olá Leitores!


Hoje navegando por outros site encontrei a informação de que o escritor brasileiro Monteiro Lobato já havia escrito um livro falando sobre a eleição de um Presidente Negro, nos EUA, isto à mais de 80 anos:


Embora ainda não tivesse pisado em terras norte-americanas quando escreveu esse livro, Lobato ambienta sua história futurista nas terras de Henry Ford. Em 1926 o autor publicou o romance com o título O Choque das raças e, duas décadas depois, mudou o nome para O Presidente Negro. A obra aborda temas como a segregação entre brancos e negros, aculturação, feminismo e ainda profetiza o surgimento de uma rede pela qual as pessoas se comunicariam e trabalhariam à distância. Através das lentes do “porviroscópio”, aparelho capaz de prever o futuro, Lobato leva os leitores para 2228, ano em que o personagem Jim Roy concorre à presidência dos Estados Unidos. http://www.travessa.com.br/O_PRESIDENTE_NEGRO


Monteiro Lobato era um grande nacionalista e defendia seu país acima de tudo. O Choque das raças, foi publicado em 1926, em vinte partes, no jornal A Manhã, onde era colaborador, e no final desse mesmo ano lançado em livro pela Editora Nacional.Existe um site que faz o leitor conhecer melhor a vida e a obra de Monteiro Lobato www.projetomemoria.art.br/MonteiroLobato . Carlos Drumond de Andrade identificava Lobato com uma frase:
"A lição maior de Lobato é a sua própria e tumultuosa riqueza humana. Creio mesmo que dentro de vinte anos ele estará incluído nos manuais de história e cultuado na memória do povo, como uma espécie de herói civil da literatura". (CDA)
Obrigado leitores por sua visita . Registre seu pensamento! Gde abraço.
Ass. Editor

sábado, 25 de outubro de 2008

Revista Jacuhy

http://www.mundocultural.com.br/artigos/4/1/imgs/calliope_F.jpg

Olá Leitores!

A Editora Jacuí, começará seus trabalhos com a Revista Jacuhy, que será de distribuição mensal, no valor de mercado(entre 3,00 & 8,00), ainda não estipulado pela equipe de produção, também poderão ser feitas assinaturas.O serviço gráfico será tercerizado, os textos deverão ser entregues pelo correio.O dinheiro arrecadado será utilizada para manutenção da Editora e do quadro de funcionários. 5% do total adquirido será doado para Lliga da Defesa Nacional-Núcleo de Rio Pardo/RS(LDN/RP)

Os conteúdos da revista serão: poesias de escritores,máximo 3 por mês, conhecidos ou não(Espaço de Calíope-deusa da poesia),para colocar as poesias na revistas, deverá ser pago R$1,00(um real), que será descontado se o escritor adquirir a revista, mas se quiser registrar os direitor autorais o valor será outro; notícias sobre civismo e patriotismo( EducaCivita) e também a seção Um Cantinho de Rio Pardo/RS, cidade sede da editora, que trará um pouco da história do município. Estas duas seções serão produzidas pela LDN/RP e futuramente poderá se expandir para os outros cantos do Brasil, daí mudará o nome fazendo uma homenagem aos índios brasileiros se chamando Abaetetuba(lugar cheio de gente boa).

Haverá também a seção Pergaminhos, que será usada para expor as cartas e email recebidos pelos leitores da revista. Outra seção será a Piá (infantil) que levará educação cívica às crianças brasileiras.

Por hoje é só leitores. Registrem seus pensamentos patrióticos!
Anjé Ariry ( até depois)

Ass. Editor

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Está chegando sua vez...


Olá Leitores!

Hoje estamos dando o primeiro passo para criação de uma Editora de Livros, Revistas e e-books, na histórica cidade de Rio Pardo/RS. Um projeto ousado em um mundo de poucos leitores mas muitos escritores.

Estaremos nos próximos dias fazendo o levantamento de gastos e a legalização da empresa, mas já podemos dizer que nossa missão será: "Deixar o escritor na história, registrar seus pensamentos e crescer junto com ele".

Os gêneros literários que publicaremos são os mesmos determinados pela Biblioteca Nacional:
01 – Poesia / 02 – Romances / 03 – Didático/Pedagógico / 04 – Música (Letra ePartitura) / 05 – Teatro (Peças)06 – Técnico/Científico / 07 – Teses/Monografias / 08 –Contos/ Crônicas / 09- História em Quadrinhos 10 – Cinema/TV (Roteiros / Argumentos) / 11 – Místico/Esotérico / 12 – Religioso / 13 – Político/Filosófico 14 – Personagens/Desenhos / 15 – Biografias / 16 – Publicidade / 17 – Periódicos (Revistas / Jornais) 99 – OUTROS.
Inicialmente, daremos prioridade paras obras classificadas em: 01;02;07;08 e 99(e-books).Por hoje são estas as informações, nosso email para contato é jacuhy@gmail.com. A figura acima encontrei no site http://casadogalo.com/wp-content/uploads/escritor.jpg
Registre seu texto!

Ass.Editor